Search
  • Max Cohen

O Harpia apareceu no jornal!

Quando comecei a me planejar para deixar Motzkin em Israel e voltar para o Brasil no ano passado, passei a pensar num segundo projeto que eu poderia desenvolver. Digo segundo porque o primeiro já estava em desenvolvimento e falarei dele num outro dia. Naquele momento o meu pensamento era no ambiente de Manaus, visto que o plano era (e foi) voltar para Manaus. Mas dentre tantas coisas que vi em Israel e outros tantos assuntos que estudei, a dúvida era o que poderia ser útil para a cidade e para a sociedade manauara? A ideia que me veio foi elaborar análises do mercado de imóveis em Manaus. Foi aí que nasceu o Harpia.


Não é a primeira vez que passo a estudar imóveis. Tive algumas experiências há alguns anos quando precisei comprar e vender imóveis pessoais. A maior experiência foi em 2018 quando buscava vender o meu apartamento em Porto Alegre para poder imigrar para Israel. Acredito que nunca é fácil vender um imóvel que você tem uma relação afetiva - era o meu caso nesse episódio. A dificuldade aumenta quando se está dentro de uma crise econômica. Vender o bem parece que você está perdendo duplamente: aquilo que você sonhava e gostava, e a crise que lhe faz diminuir o preço para conseguir efetivar a venda. E senti na pele essa dificuldade.


Levei muito tempo ofertando o apartamento até conseguir vender. Na visão de um economista pode-se dizer que o problema na oferta é simples - o preço. Ou melhor, o preço errado. Errado sob o olhar da demanda, que não tem interesse no preço. Partindo desse pressuposto, montei um plano para identificar o "real" preço do metro-quadrado de apartamentos no meu bairro e nos bairros vizinhos. O plano consistia em coletar os dados de anúncios das ofertas da imobiliárias que operavam on-line, com sites na Internet, limpar os dados, fazer uma análise exploratório para entender o mercado em que eu estava metido, e, por último, criar um modelo preditivo que pudesse me dizer por qual preço eu deveria ofertar o meu apartamento. Funcionou! O modelo identificou um preço e eu consegui vender o apartamento.


O Harpia foi idealizado com base nas minhas experiências de compra e venda de imóveis e nas análises que desenvolvi. O seu objetivo é prover informações para dar suporte às decisões de compra e venda de imóveis. Da mesma forma quando eu precisei vender o meu apartamento, acredito que há muitas pessoas que precisam tomar uma decisão para vender ou comprar um imóvel mas não possuam a informação correta sobre os preços praticados não mercado. O Harpia vai poder colaborar com esses decisores.


O Harpia também poderá ajudar o planejador público e as empresas que atuam no segmento imobiliário no sentido de calcular as variações de preços do imóveis. O sistema calcula e registra a variação por tipo de imóvel e por bairro. Tem-se, então, um conjunto de indicadores que monitora o subir e o descer dos preços.


Para desenvolver o Harpia, juntei a minha experiência passada de compra e venda de imóveis, e somei ainda o meu aprendizado em data science, inteligência artificial, economia e business. O sistema informatizado é composto por uma base de robôs, desenvolvida programação Python, de (1) coleta dos dados e (2) um conjunto de regras de negócios para filtragem e correções. Em seguida, desenvolvi (3) múltiplas análises exploratórias, com o intuito de descrever e entender o mercado.


Agora em janeiro/21 consolidei os gráficos e tabelas que criei num único documento, que estou chamando de "Relatório da Oferta de Imóveis em Manaus". O relatório está disponível gratuitamente para download. Sendo assim, posso dizer que o Harpia é hoje um MVP operacional.


O Harpia teve feedbacks iniciais positivos das primeiras pessoas que conheceram o projeto. Aqui destaco o artigo da jornalista Cristina Monte sobre a startup e o seu primeiro projeto que se tornou público: "Startup Arapaima pretende revolucionar mercado imobiliário de Manaus". O artigo foi publicado na dias de 23-24/Janeiro/2021 no Jornal do Comércio e também no seu blog "Na Cuia da Cris"




Neste momento em que escrevo estou iniciando a procura por um patrocinador para o projeto. Já tenho em mente algumas formas para custear as atividades de desenvolvimento e manutenção do sistema. Em paralelo, estou levantando as percepções das pessoas quanto ao valor das informações disponibilizadas. Até porque se identificarmos que as informações não são úteis para os decisores manauaras, não há motivo para continuar o projeto. Sendo assim, fique à vontade para baixar o relatório na página do Harpia e também para me escrever contando as suas percepções.


Vida longa ao Harpia! 😀👋

8 views0 comments